1º de dezembro – Dia Mundial de Luta Contra a AIDS

Oi gente!

Hoje é o Dia Mundial de Luta Contra a Aids. Dia em que diversos países discutem o avanço da doença e formas de conscientização, incentivando as pessoas a fazerem a testagem para o HIV e a adotarem medidas preventivas, como o uso da camisinha em todas as relações.

30 anos aids

Se vocês já tiveram uma unica relação sexual sem preservativo, façam a testagem! É rápida, simples e gratuita!

Pesquisa – Projeto Atitude Abril

Bom tarde!

Hoje o post será dedicado aos resultados de um levantamento conduzido pelo Departamento de Pesquisa e Inteligência de Mercado da Editora Abril, que edita revistas conhecidas como Veja, Claudia, Contigo, Capricho, entre outras.

Chamado de Projeto Atitude Abril, a pesquisa buscou avaliar os conhecimentos dos brasileiros sobre a AIDS e o que eles fazem de fato para se proteger da doença. O estudo envolveu mais de 15 mil pessoas, que participaram através de entrevistas e questionários disponibilizados na internet, entre os dias 29 de maio e 31 de julho de 2014. Este trabalho está sendo considerado um dos mais abrangentes sobre a AIDS no país.

Os participantes são homens e mulheres maiores de 16 anos, pertencentes às classes A, B e C, de todas as regiões do Brasil. Do total de pesquisados, 53% tem vida sexual ativa com parceiro(a) ativo(a), 27% tem vida sexual sem parceiro(a) ativo(a) e 20% se declararam virgens.

pesquisa abril

Segundo o mesmo estudo, há mais de 720 mil pessoas soropositivas no Brasil – e uma em cada cinco pessoas não sabem disso, colocando não só a própria vida em risco como a de seus parceiros também. A pesquisa identificou dois grupos nos quais houve um significativo aumento na taxa de infectados: jovens do sexo masculino entre 16 e 24 anos – de uma geração que está se descobrindo sexualmente e não viu a explosão da AIDS nas décadas de 1970 e 1980 – e adultos, principalmente do sexo feminino, com mais de 50 anos, que não se identificam como alvo da doença e deixam de se proteger.

pesquisa aids veja

Em entrevista para a revista Veja, o infectologista Artur Timerman, uma das maiores autoridade brasileiras em AIDS, afirma que ter informação sobre determinada doença é diferente de ter consciência sobre ela. As pessoas sabem que é importante usar camisinha, mas elas ainda não colocam em pratica essa informação.

Querem saber mais? Acessem:

http://www.atitudeabril.com.br

http://www.aids.gov.br

Carta para os amigos…

Oi gente!

Hoje vamos publicar uma carta escrita pelo jovem Luiz Henrique de Paula Queregatte, que através uma atividade desenvolvida pelo Projeto Saúde e Qualidade de Vida, buscou conscientizar os demais colegas sobre a importância da prevenção.

Olhem só que legal:

carta

Gostaram?

Outubro Rosa

O Outubro Rosa é um movimento internacionalmente conhecido e comemorado em todo o mundo desde a década de 1990. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população no controle da doença.

outubro rosa

Este movimento começou nos Estados Unidos e a partir de então a data passou a ser celebrada anualmente em diversos países com o objetivo de promover a conscientização e compartilhar informações sobre o assunto.

No Brasil, de acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de mama é o que mais atinge as mulheres – são mais de 57 mil novos casos estimados no Brasil para 2014. A idade ainda é um dos principais fatores de risco: quatro em cada cinco pacientes têm mais de 50 anos.

A ideia é chamar atenção, diretamente, para a realidade atual da doença e a importância do diagnóstico precoce, sendo esse fator o mais importante para o processo de cura.

Vamos então para as principais dúvidas relacionadas a doença:

- O que causa o câncer de mama?

Na maioria dos casos de câncer de mama, não há uma causa específica. Há alguns fatores que estão associados ao aumento do risco de desenvolver a doença. A própria idade é um deles, pois a chance aumenta na medida em que se envelhece. Primeira menstruação (menarca) antes dos 12 anos, parar de menstruar (menopausa) após os 55 anos, não ter tido filhos ou ter tido o primeiro filho em idade avançada são alguns fatores associados ao risco. Consumo excessivo de álcool, obesidade e sedentarismo também. Casos na família de câncer de mama e ovário, principalmente em parentes próximos (primeiro grau – pai, mãe, irmãos, filhos), elevam o risco.

- Os homens também podem desenvolver esse tipo de câncer?

O câncer de mama em homens é raro. Estima-se que, do total de casos da doença, apenas 0,8% a 1% ocorram em pessoas do sexo masculino.

- Quais são os sintomas? Como perceber?

A forma mais habitual é o aparecimento de nódulo (caroço) nos seios, geralmente indolor. Outros sinais e sintomas menos frequentes são edemas, irritação ou irregularidades na pele, dor, inversão ou descamação no mamilo e saída de secreção (liquido) pelo mamilo. Podem também surgir caroços palpáveis na axila. Por isso, o Inca destaca a importância de que a mulher esteja atenta ao seu corpo e à saúde das mamas. A recomendação é que, diante da observação de qualquer alteração ou mudança, a pessoas busque o quanto antes a avaliação de um médico.

- Quais são as chances de cura de câncer de mama?

Quando diagnosticado precocemente, há até 95% de chance de cura. Por isso, é importante que toda mulher de 50 a 69 anos faça mamografia a cada dois anos.

Gostaram das informações? Divulguem para as mães, amigas e parentes e incentivem as pessoas a ficarem atentas a saúde e ao corpo.

Fontes:

Inca – Instituto Nacional de Câncer

Site Terra

2ª dose da vacina contra o HPV

Bom dia pessoal!

O post de hoje é para divulgar que a segunda dose da vacina contra o vírus HPV começou a ser aplicada em meninas de 11 a 13 anos, na semana passada (01/09) em todo o Brasil.

É importante lembrar que essa vacina protege as adolescentes do câncer do colo de útero e que a aplicação dessa segunda dose, seis meses após a primeira, é fundamental para garantir a imunização contra o HPV até que se receba a terceira dose, chamada de reforço, que será distribuída daqui há cinco anos. Cada adolescente deverá tomar as três doses para completar a proteção.

O Ministério da Saúde passou a ofertar a vacina no Sistema Único de Saúde (SUS) em 10 de março de 2014. Em apenas seis meses, 4,3 milhões de meninas nessa faixa etária já foram vacinadas, atingindo 87,3% do público-alvo – uma das maiores coberturas para essa vacina em todo o mundo. A meta do Ministério da Saúde é vacinar 80% das 4,9 milhões de meninas de 11 a 13 anos residentes no país.

A vacina também está disponível para aquelas que ainda não tomaram a primeira dose. Para receber a segunda dose da vacina HPV, basta apresentar o cartão de vacinação ou documento de identificação na unidade de saúde. Em 2015, a vacina passa a ser oferecida para as adolescentes de 9 a 11 anos e, em 2016, às meninas de 9 anos.

2ª-dose-HPV

 

SEGURANÇA – A vacina contra HPV tem eficácia comprovada para proteger mulheres que ainda não iniciaram a vida sexual e, por isso, não tiveram nenhum contato com o vírus. Estimativas indicam que, até 2013, foram distribuídas cerca de 175 milhões de doses da vacina em todo o mundo. 

Tomar a vacina na adolescência é o primeiro de uma série de cuidados que a mulher deve adotar para a prevenção do HPV e do câncer do colo do útero. No entanto, ela não substitui a realização do exame preventivo e nem o uso do preservativo nas relações sexuais. O Ministério da Saúde orienta que mulheres na faixa etária dos 25 aos 64 anos façam o exame preventivo, o Papanicolau, a cada três anos, após dois exames anuais consecutivos negativos.

SOBRE O HPV – É um vírus transmitido pelo contato direto com pele ou mucosas infectadas por meio de relação sexual. Também pode ser transmitido da mãe para filho no momento do parto. Estimativas da Organização Mundial da Saúde indicam que 290 milhões de mulheres no mundo são portadoras da doença, sendo 32% infectadas pelos tipos 16 e 18. Em relação ao câncer de colo do útero, estudos apontam que 270 mil mulheres, no mundo, morrem anualmente devido à doença. Neste ano, o Instituto Nacional do Câncer estima o surgimento de 15 mil novos casos no Brasil.

Fonte: http://www.aids.gov.br

2 anos de blog!

Oi gente!

É com muita alegria que comemoramos o aniversário de dois anos do nosso blog!

bolo 2 anos

Desde a primeira publicação até essa data tão importante, recebemos mais de 14 mil acessos!

imagemblog2

Muito obrigada a todos que nos visitaram e buscaram informações através dos nossos posts! O interesse e a curiosidade de vocês é o que nos motiva a buscar assuntos e noticias cada vez mais especiais…

Por isso, continuem nos acompanhando! A participação de vocês é muito importante!

A Aids no Brasil

Um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) divulgado na semana passada aponta que novos casos de infecção pelo HIV e de mortes associadas à doença cresceram no Brasil nos últimos oito anos.

download

Segundo o The Gap Report, documento feito pelo Programa Conjunto das Nações sobre HIV/Aids (Unaids), o número de novos casos de infecção pelo HIV cresceu 11% no Brasil entre 2005 e 2013, quando cerca de 42 000 pessoas contraíram o vírus no país.

Estima-se que, atualmente, 752 000 pessoas vivam com o vírus da aids aqui no país. Esse número representa quase metade do total de casos na América Latina (1,6 milhão) e cerca de 2% do número de infectados no mundo (35 milhões).

De acordo com a Unaids, a cada hora, dez novas infecções pelo HIV acontecem na região. Pelo menos um terço dos novos casos da doença ocorre entre jovens de 15 a 24 anos.

O Ministério da Saúde afirma que já esta em 750 mil o número de pessoas que vivam com HIV e Aids no Brasil, sendo que 123 mil desconhecem essa sua situação.

Quer saber mais? Acesse:

http://www.aids.gov.br

http://www.unaids.org.br

Matéria Revista Veja

Matéria Site O Globo